Siem Reap, Camboja

15 de Abril de 2016

Siem Reap

Período da viagem: Outubro de 2015

Não deixe de ler antes o “Post Entendendo o Camboja”, clicando AQUI

“Tome cuidado, pois o Camboja é o país mais perigoso que você já visitou ou irá visitar. Provavelmente você se apaixonará por ele e ele irá partir seu coração. ” {Joseph Mussomeli, o ex-embaixador americano no Camboja}.

Se mesmo depois de ler esse primeiro parágrafo, você foi forte o bastante para não desistir de viajar para o Camboja, você definitivamente estará de “corpo e alma”, pronto para descobrir um dos países com mais contrates no mundo, muito rico em cultura, história, monumentos, simpatia e vontade de viver, em contrapartida dos mais pobres em qualidade de vida, onde atualmente, 20% da população vive abaixo do nível de pobreza.

Siem Reap 1
Chegando no complexo de Angkor Wat

O Camboja, é um país cheio de histórias, cheio de mistérios. Um país com uma população sofrida, consequência de guerras, e principalmente das atrocidades cometidas entre as décadas de 70 a 90, pelo regime comunista Khmer Rouge, liderado pelo ditador Pol Pot. Só depois desse terrível período que o Camboja tornou-se acessível a turistas do mundo inteiro curiosos em desvendar principalmente o Complexo de Angkor Wat, capital do Império Khmer entre os séculos IX a XIII.

Siem Reap
Templo Bayon

A pequena cidade (ou vilarejo) de Siem Reap, no noroeste do Camboja, com não mais de 150.000 habitantes, que serve como principal ponto para quem deseja explorar o Complexo de Angkor, e por isso, mesmo não sendo a capital do país, é a cidade mais importante para o desenvolvimento turístico do Camboja.

Siem Reap 19
Energia super legal dos turistas na região da Pub Street

Durante todo o período das guerras, até meados dos anos 90, o Complexo de Angkor foi totalmente abandonado, sendo incorporado a vegetação local. Após a redemocratização do país, a UNESCO, ao qualificar o complexo como Patrimônio Mundial da Humanidade em 1992, abriu portas para que várias nações iniciassem em conjunto, um trabalho de restauração dos templos e ruínas no Camboja, transformando em apenas duas décadas, Angkor Wat, em uma das mais importantes atrações turísticas de toda a Ásia.

Siem Reap 22
O comércio informal da cidade

Atualmente, o turismo corresponde a 70% de todas as receitas nacionais. São quase 3 milhões de turistas que chegam por ano à cidade de Siem Reap (pronuncia-se Simm-rip), que apesar de ainda muuuuuuito pobre, tem uma estrutura super simpática e aconchegante, com muitas opções de hospedagens, desde as mais simples, às mais luxuosas.

Se está decidido a conhecer esse país exótico, bastaaaaaante quente, com um povo ferido, porém simpático e feliz, e não sabe por onde começar, não se preocupe, vou te ajudar:

Não deixe de ler o Post “Entendendo o Camboja”, lá explico um pouco mais a fundo da história, como chegar, documentação necessária, além de religião e costumes, dinheiro e culinária local.

Siem Reap
Turista por todos os lados em Angkor Thom

Onde Hospedar-se:
Não sei vocês, mas essa é sempre a minha principal dúvida quando estou organizando uma viagem para uma cidade que ainda não conheço. Em qual região ficar? Qual melhor custo benefício em hotel?

Vamos lá. Em Siem Reap a resposta é bem fácil, já que a cidade é bem pequena. Há duas opções: Próximo ao Complexo de Angkor, distante aproximadamente 7 km do centro turístico da cidade, e na região do Old French Quarter, longe a minha preferida. Escolhendo qualquer hotel nessa região, você estará no “miolo” do agito da cidade, a Pub Street. Nessa rua e arredores você encontra facilmente vários restaurante, pubs e casas com a tradicional Khmer Massage, e para os corajosos a Fish Massage também. É nessa região que fica o Angkor Night Market e o Siem Reap Old Market, recheados de “esquisitices” e souvenirs, que todo turista ama! 🙂 

Siem Reap 2
Pub Street em Siem Reap

Algumas sugestões de hospedagem:

  • 5 EstrelasBelmond La Résidence D’Angkor – Essa foi minha opção em Siem Reap. Um hotel intimista às margens do rio Siem Reap, bem no estilo boutique. Não está localizado no “miolinho” da Pub Street, mas está próximo, a apenas 10 minutos a pé, ou 3 min de tuk-tuk. Além do quarto ser imenso, moderno, a altura de qualquer 5 estrelas do mundo, o hotel tem um agradabilíssimo jardim, e uma piscina dos “Deuses”. Um lugar perfeito para relaxar ao fim de um dia repleto de emoções.
Siem Reap 3
Hotel Belmond La Résidence D’Angkor
Siem Reap 3
Nosso quarto…….
Siem Reap 4
………Fantástico
  • 5 Estrelas – Park Hyatt Siem Reap – Um hotel clássico, luxuoso sem ostentação. Confesso que fiquei bastante caidinha por ele. O hotel tem uma ótima localização, bem próximo da Pub Street.
Park Hyatt
Hotel Park Hyatt Siem Reap – Foto site oficial do hotel
  • 5 Estrelas Amansara – São apenas 24 suítes no luxuoso hotel do grupo Ãman. A decoração e o atendimento, é o que chama atenção. Todas as suítes contam com piscina particular e motorista com tuk-tuk à disposição, qualquer hora do dia.
Siem Reap 25
Amansara Hotel – Foto site oficial do hotel
  • 4 Estrelas Shinta Mani Club – Uma ótima opção, ideal para pessoas que não abrem mão do conforto. Próximo da região do Old Quarter.
Siem Reap 26
Shinta Mani Club – Foto oficial site do hotel
  • 4 Estrelas Chronicle Angkor Hotel – Apenas 300 metros da Pub Street, esse hotel é recomendado sempre pela simpatia dos staff.
Siem Reap 26
Shinta Mani Club – Foto oficial site do hotel
  • 3 Estrelas Diamond D’angkor Boutique – Um 3 estrelas que mais parece 4. Estilo hotel boutique, localizado a apenas 10 minutos a pé da Pub Street.
Siem Reap 28
Diamond D’angkor Boutique
  • 3 Estrelas Viroth’s Villa – Bem estiloso para um 3 estrelas. Localizado a apenas 500 metros da Pub Street.
Siem Reap 29
Viroth’s Villa – Foto site oficial do hotel

 

Circulado em Siem Reap:

  • Principalmente em viagens a Ásia ou em países mais pobres, como o Camboja, prefiro sempre contratar o transfer de chegada com o próprio hotel ou em alguma operadora de receptivo local, além de em geral ser sempre mais barato, é mais seguro. Geralmente essas cidades oferecem serviços de taxi em aeroportos de forma “não oficial”, com isso, o preço é sempre cobrado pela “cara do turista”, o que geralmente é sempre uma #Furada, já que nunca há taxímetro……..#FicaDica. O hotel que fiquei hospedada, o Belmond La Résidence D’Angkor, cobrou U$ 17,00 por trecho do transfer.
  • Para circular dentro da cidade, entre no clima da viagem e prefira o transporte oficial do Camboja, o tuk tuk. Há vários por todas as partes. 
Camboja 18
Tuk-Tuk, a melhor forma de se locomover em Siem Reap

Quanto tempo permanecer na cidade:
Na minha opinião 2 dias inteiros é o ideal, mas se você é daqueles que gosta de fazer as visitas aos templos, de forma bem tranquila, reserve 3 dias inteiros na região.

Siem Reap 8
No clima do Camboja

Sugestão de roteiro em Siem Reap – 3 dias de visita:

Roteiro | Dia 1
  • Acorde bem cedo e dedique todo esse dia a visita dos templos mais famosos da região. A sugestão é do circuito mais curto, 18 quilômetros visitando os templos de: Angkor Wat, Angkor Thom, Bayon, Terraço dos Elefantes, e Ta Prohm
  • Tenha em mente que a distancia entre os templos é grande, e dependendo do período do ano, poderá estar muito quente ou com chuva, portanto a minha dica é contratar um tour privado para esse dia, incluindo carro com motorista e guia. Com certeza, será muito mais proveitoso (não é caro). Se o orçamento for limitado, contrate pelo menos um tuk tuk para os percursos. Lembre-se que um guia fará toda a diferença na visita, facilitando muito o entendimento da história de cada templo.
Siem Reap 30
Bilheteria de Angkor Wat
  • O valor do passe de visita aos templos custa:
    • 1 dia de visita – U$ 20
    • 3 dias de vista – U$ 40
    • 7 dias de visita – U$ 60
    • OBS: Os guichês de venda, abrem às 05:00 da manhã, e geralmente há fila para a compra, já que é necessário tirar foto para registrar o passe.
  • Vá com sapatos e roupas confortáveis, já que é necessário caminhar muito em temperaturas elevadas. Ahhh, se for mulher, será necessário cobrir os ombros e as pernas para ter acesso a alguns templos.
  • Há opções de restaurantes para almoço na região dos templos, nada muito requintado.
  • Com certeza, no final do dia, você estará super exausto, então a dica é relaxar em das inúmeras massagens e restaurantes na Pub Street. 
Siem Reap 31
Um lugar INCRÍVEL!!!!

Angkor WatConhecido como “A Cidade dos Templos” O Angkor Wat, foi construído no século XII, originalmente para ser um templo hinduísta, sendo convertido no século XV para um templo budista. É considerado o maior templo do mundo, incluindo todas as religiões.

Camboja 13
Um dos lugares mais especiais que já tive oportunidade de visitar

Para ser construído, foram necessários 40 anos, e mais de 300 mil pessoas.

Angkor Wat, Siem Reap

Um templo tão importante para o turismo e para a economia do país, recebendo por ano 3 milhões de visitante, e que está presente na bandeira da nação. Um local fantástico, que deveria ser visitado por todos, pelo menos 1 vez na vida.

Muita chuva durante a minha visita

Angkor Thom – Em uma área protegida e pertencente ao Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade da UNESCO, Angkor Thom significa “Grande Cidade”. Foi a capital e a maior cidade do Império Khmer. Chegou a ter 1 milhão de habitantes. O complexo é protegido por 10 quilômetros de muros com 8 metros de altura e cinco portões que permitem a entrada. Visite:

Siem Reap
Na informalidade do SnapChat: sorayaresende

Templo Bayon – Templo dentro do complexo de Angkor Thom, com 216 faces esculpias em pedras, que representam, guerras e guerreiros de todas uma história.

Siem Reap 37
Templo Bayon

Terraço dos Elefantes – Templo com várias ruínas que contém vários detalhes de elefantes e trompas esculpidos em pedras espalhadas por todos os lados em meio a diversas árvores. Para conhecer, é necessário apenas uma visita de 15 minutos. Também dentro do complexo de Angkor Thom.

Siem Reap 38
Terraço dos Elefantes

Ta Prohm – O templo que ficou abandonado durante anos, também conhecido como “Templo das Árvores”, foi construído no final do século XII e inicio do século XIII, originalmente chamado de Rajavihara. Os registros do templo citam que o local foi a residência de mais de 12.500 pessoas (incluindo 18 sacerdotes e 615 bailarinos), com um adicional de 80 mil pessoas nas aldeias vizinhas trabalhando na prestação de serviços e suprimentos. Por aqui, as árvores que crescem fora das ruínas são, talvez, a característica mais distinta de Ta Prohm.

Siem Reap 20
Ta Prohm

Para os amantes de filmes, o templo foi usado nas filmagens do filme Tomb Raider. Embora o filme também tivesse utilizado imagens de outros templos em Angkor, as cenas filmadas em Ta Prohm foram as mais marcantes.

Siem Reap 39
Cenário do filme Tomb Raider

Roteiro | Dia 2

  • Logo pela manhã vá visitar as vilas flutuantes do Lago Tonlé Sap, com 24.600 km², e que representa a maior extensão de água doce do sudeste asiático. Desde Siem Reap até o porto, são aproximadamente 30 minutos. Para esse passeio, será necessário ir de carro, taxi ou tuk-tuk, e ainda contratar o passeio de barco pela região para visitar a vila mais conhecida que é a Chong Khneas. O passeio todo durará meio dia.
Siem Reap 11
Escola Publica na Lago Tonlé Sap
  • Confesso que NÃO me senti confortável nesse passeio, PAGANDO para ver COMO TURISTA, a pobreza extrema de uma população sofrida. Me senti muito triste, e em um determinado momento, pedi a meu guia privado para retornarmos a Siem Reap. Sorte que o tour já estava no final mesmo.
Siem Reap 13
A sofrida comunidade do Lago Tonlé Sap
  • Alguns cuidados durante o passeio:
    • Na contratação do barco, há muita “pegadinha”. Geralmente cobram por um barco na ida, fazem com que o turista contrate outro menor no meio do roteiro com a desculpa que só se chega nos vilarejos com barco menores, e depois ainda querem cobrar pelo retorno. #cuidado
    • A minha dica é contratar um barco privado para todo o roteiro, já deixando muito claro quanto custará tudo.
Siem Reap 15
Nosso barco privado no Lago Tonlé Sap
  • No meio do passeio, haverá a tradicional exploração ao turista, fazendo com que os desinformados comprem quilos de arroz para ajudar em orfanatos locais, cobrando preços exorbitantes. #TudoMentira
  • Nas paradas para compras de souvenirs, visita a crocodilos, ou refeições, sempre haverá a exploração e muitas pessoas e crianças oferecendo produtos, sempre a preços elevados para o local.
Siem Reap 16
Comércio local durante o passeio
  • Tenha em mente que não é a principal atração de Siem Reap (muito longe disso), é apenas uma atração para turistas. Particularmente, não gostei!
Siem Reap 17
Pobreza extrema em Siem Reap
  • Almoce em um dos restaurantes do King’s Road, mini shopping gourmet em Siem Reap.
  • À tarde vá visitar o trabalho da ONG Artisans d’Angkor, onde a população local, muitos deles com algum tipo de mutilação, trabalham produzindo artesanatos. A visita não é paga. Há uma loja com vários produtos lindos, produzidos por eles.
Siem Reap 10
ONG Artisans d’Angkor
  • Termine o dia visitando os Nights Markets, o Angkor Night Market e o Siem Reap Night Market. São bem próximos, e uma ótima oportunidade para comprar produtos e souvenirs locais.
Siem Reap 12
Mercado em movimento durante o dia
  • Restante do dia, vá relaxar novamente curtindo um pouco do seu hotel, fazendo uma massagem e jantando na Pub Street.
Siem Reap 9
Fish Massage, bastante encontrada nessa região da Ásia

Roteiro | Dia 3
  • Comece o dia visitando a Wat Damnak, uma das principais pagodas de Siem Reap. Um momento para agradecer, conhecer mais da religião budista, e ainda receber uma benção de um dos simpáticos monges locais. Esse foi um momento muito especial na viagem, principalmente porque tive oportunidade de conversar por quase 1 hora com um dos monges, que se comunicava muito bem em inglês. No final, é de boa índole, deixar uma ajuda financeira para as obras sociais da pagoda.
Siem Reap 14
Recebendo as bençãos da religião budista
  • Se ainda estiver disposto a retornar ao complexo Angkor Wat, para visitar mais templos menores e com fluxo menor de turistas, essa é a hora. Essas são algumas sugestões de mais templos: Banteay Srei, Baksei Chamkrong e o por do sol no Phnom Bakheng.
  • Reserva a tarde para curtir um pouco da piscina do hotel tomando uma cerveja Angkor Beer bem gelada, fazer as ultimas compras nos mercados locais e se despedir da Pub Street ou jantar em um dos restaurantes legais do King’s Road, a exemplo do italiano Terrazza ou do The Grey Khmer Grill .
Uma mistura do Camboja, natureza, chuva e muita alegria

Sugestão de GUIA em Siem Reap (Muito gentil)
Lon Phally
Fala Inglês e Espanhol
E-mail: phally_007@yahoo.com
Celular e Whatsapp: (855) 12 675 086

Siem Reap 41
Nada melhor para combinar com o calor do Camboja

Te convido a acessar também:
Instagram:@sorayaresende
Twitter: @sorayaresende
Fanpage: facebook.com/poraicomigo
YouTube: youtube.com/poraicomigo
Contato: soraya@poraicomigo.com.br 

Siem Reap 42
A religião budista presente sempre na alma e no coração do Cambojiano

Leia também outros post relacionados ao destino:
Entendendo o Vietnã
Hanói, visitando a capital do Vietnã
Halong Bay
Hué, Vietnã
Hoi An, Vietnã
Tailândia, Uma Nação de Cores, Sabores e Culturas
O paraíso chamado Ilhas Maldivas

Siem Reap 43
Turista que é turista não larga a câmera 🙂

Texto e Imagens: Soraya Resende 

Todos os direitos reservados.
2016© Por aí Comigo. Está proibida a reprodução, sem limitações, de textos, fotos ou qualquer outro material contido neste site, mesmo que citada a fonte. Caso queira adquirir nossas matérias, entre em contato.

Siem Reap 44
Roubou minha alma, meu coração………..